Relatório mensal: Portugal- Outubro, 2017

Fusões e aquisições crescem 45,86% em Portugal em outubro

  • Transações revelaram valores que somam € 1,02 mil milhões
  • Investimentos de private equity tiveram alta de 150% no mês

CENÁRIO DE PORTUGAL

O volume de fusões e aquisições no mercado transacional português somou € 1,02 mil milhões, um salto de 45,86% comparado ao mesmo período de 2016. O TTR registou 16 operações em Portugal em outubro. Desde o início do ano, o país já soma 241 negócios, que alcançaram valor total superior a € 9,4 mil milhões, crescimento de 43,1% no valor das operações.

Tecnologia foi o subsetor com mais destaque neste mês, com três transações, porém, com queda de 19% no número de operações no decorrer do ano. O segmento Imobiliário  foi o que mais recebeu investimentos desde janeiro, foram 46 operações que representaram uma alta de 21%, seguindo a tendência que se repete desde 2015. O maior crescimento foi no setor de Saúde, Higiene e Estética, com aumento de 38% de negócios anunciados.

CROSS-BORDER

O mercado português totalizou 81 operações de cross-border inbound. Destas, 23 foram investimentos de empresas com sede em Espanha. O vizinho ibérico investiu € 607 milhões em empresas portuguesas ao longo do ano. Em seguida, destacam-se os investimentos de empresas do Reino Unido, com 14 aquisições registradas que agregaram € 122,4 milhões.

Os investimentos de Portugal no mercado estrangeiro concentraram-se no Reino Unido e em França, onde o país fez as maiores aquisições do ano, € 5 milhões e € 3 milhões, respetivamente. Por outro lado, Espanha foi o país onde mais se realizaram aquisições – quatro, de janeiro a outubro.

PRIVATE EQUITY E VENTURE CAPITAL

No último mês, o TTR contabilizou cinco transações de private equity, num total de 37 no decorrer do ano, salto de 23% comparado ao mesmo intervalo de 2016. O total aportado também tem saldo positivo, 191% de crescimento em 2017, tendo alcançado o valor de € 4,6 mil milhões em operações dessa modalidade. Saúde, Higiene e Estética e Distribuição e Retail foram os segmentos com mais procura pelos investidores de Private Equity. 

O cenário de venture capital, que no ano tem registado resultados pouco expressivos, com queda de 23% no número de operações, teve em outubro um bom resultado. Foram três operações reportadas, que somaram € 48,22 milhões, um salto de 655% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

TRANSAÇÃO DO MÊS

A transação destacada pelo TTR foi a conclusão da aquisição da totalidade do capital social da EDP Gás e suas subsidiárias, EDP Gás Distribuição e EDP Gás GPL, pela REN – Redes Energéticas Nacionais, em uma transação que movimentou € 532,4 milhões.

Com a transação, a REN procura atingir uma maior integração dos negócios de gás natural e, também, manter um forte perfil de crédito e financeiro. Para financiar a operação, o conselho de administração da REN aprovou o recurso a linhas de crédito e um aumento do capital social, a realizar mediante oferta pública de subscrição. Tais condições estão sujeitas à aprovação dos órgãos sociais competentes da REN.

A EDP – Energias de Portugal teve assessoria financeira na transação da BBVA e do Millenium BCP, enquanto a REN – Redes Energéticas de Portugal foi assessorada financeiramente pelo Haitong Bank. Atuaram como assessores legais da REN, os escritórios Uría Menéndez – Proença de Carvalho e Garrigues Portugal. O PLMJ assessorou a REN no financiamento da operação.

ENTREVISTA: João Caldeira, sócio na CMS Rui Pena & Arnaut

“…a crescente dinâmica e afirmação das “Startups” portuguesas, inclusivamente no contexto internacional, deverá conduzir a um aumento dos investimentos de “Venture Capital“.

Leia a entrevista completa aqui.

RANKING: Assessores Financeiros e Jurídicos

O pódio do ranking de assessores financeiros por valores das transações é liderado pelo Natixis Partners, que acumulou em 2017 o valor de € 2,5 mil milhões. Em seguida, aparecem BBVA, com €1,1 mil milhões, e Millennium BCP, €1 mil milhões. Já o ranking de assessores jurídicos por valor é liderado por Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, €1 mil milhão, seguido por Vieira de Almeida, €1 mil milhão, e Uría Menéndez – Proença de Carvalho, €954 milhões.

Relatório mensal: Brasil- Outubro, 2017

Investimentos de Venture Capital crescem 470% em outubro no Brasil

  • Investimentos de Venture Capital somam R$ 139 milhões no mês
  • País soma 64 transações em outubro, retração de 27,27% em relação ao mesmo mês de 2016
  • Mercado brasileiro contabiliza 587 transações domésticas em 2017

Venture Capital e Private Equity

O balanço do mês de outubro foi positivo para os investimentos de venture capital no Brasil, que registrou 13 operações dessa modalidade de investimento no mês, um crescimento de 18% sobre o que foi registrado no mesmo período de 2016.

Destas operações, cinco tiveram seus valores revelados, somando um total de R$ 139 milhões investidos, um salto de 470% em relação ao período homólogo do ano passado. No decorrer de 2017, o setor que registrou o maior interesse dos investidores foi o de Distribuição e Retail, que recebeu um aporte 50% superior ao do ano anterior.

Já no cenário de private equity, no ano, foram contabilizadas 69 operações, das quais 31 tiveram valores revelados que somam R$17,2 bilhões, alta de 27% sobre o volume do mesmo período de 2016.  Os segmentos Saúde, Higiene e Estética e Imobiliário lideraram os movimentos dos investidores, registrando crescimento de 50% cada.

Fusões e aquisições no Brasil em outubro

Foram registradas 64 transações em outubro no mercado de M&A brasileiro, número que representa uma retração de 27,27% em relação ao mesmo mês de 2016. Destas, 29 operações revelaram valores que ultrapassam a casa dos R$ 10,1 bilhões, queda acentuada de 46,74% no período. Outubro foi o mês com menor número de transações no ano.

O setor mais movimentado durante os dez primeiros meses de 2017 foi Tecnologia, com o registro de 142 transações, que não foram suficientes para acompanhar os números do ano anterior, ficando 22% abaixo dos resultados obtidos em 2016, apesar de ter sido o setor com mais transações no mês de outubro, 12.  Em seguida, destaque para Petróleo e Gás, com 9 transações no mês. Apenas o segmento Imobiliário obteve crescimento no ano, 61%, devido às 79 operações contabilizadas no período.

Panorama Latino Americano

O mercado brasileiro de M&A registrou o maior número de fusões e aquisições nos dez meses corridos no ano na América Latina. Foram 593 transações domésticas no país – enquanto Chile, segundo colocado, registrou 89, seguido por Argentina, com 83.

O país contabilizou ainda 187 aquisições cross-border inbound, mais que o dobro do México, que fechou o período com 70 operações. Porém, é do México a liderança no volume de aquisições outbound, com 55 transações – incluindo a aquisição da brasileira Vigor pela mexicana Lala Alimentos – enquanto o mercado brasileiro contabilizou 35.

Operações cross-border

Os investimentos das empresas norte-americanas voltaram a ter saldo positivo. Desde o início de 2017, foram 69 operações, um aumento de 6,15% em relação ao período homólogo do último ano, somando investimento superior a R$ 15,8 bilhões de reais nas aquisições de empresas brasileiras. Investimentos provenientes da China aparecem na sequência, totalizando R$ 11,5 bilhões, seguido por Austrália, com a aplicação de R$ 7,2 bilhões no mercado brasileiro.

Empresas que atuam no segmento de Tecnologia e Internet foram as que mais atraíram investimento estrangeiro – 37 transações. No âmbito outbound, o Brasil fez 11 aquisições nos Estados Unidos que somam R$ 511 milhões, e 7 na Argentina, totalizando R$ 341,7 milhões.

Transação TTR do mês

A conclusão da aquisição da Vigor Alimentos, empresa brasileira fabricante de produtos lácteos e alimentos processados, pela Lala Derivados Lácteos, empresa mexicana do mesmo setor detida pelo Grupo Lala, pelo valor aproximado de R$ 5 bilhões de reais, foi eleita como a transação de destaque do mês.

Os recursos obtidos pela JBS com a venda da Vigor seriam destinados para amortização dívidas da companhia.

Entrevista com Thiago Sandim

“…Isso tudo criou um aperto de crédito em alguns grupos, que deixa como única saída a venda de ativos. O que para uns é crise, para outros é oportunidade.”

Leia a entrevista completa aqui!

 

Ranking TTR

O pódio do ranking TTR de assessores financeiros por valores das transações é liderado pelo Banco Bradesco BBI, que acumulou em 2017 o valor de R$ 17,7 bilhões. Em segundo lugar aparece o Banco BTG Pactual, com R$ 16,4 bilhões, e, na sequência, o Banco Itau BBA– que lidera por número de operações (22) – com R$ 15,7 bilhões.

O ranking de assessores jurídicos por valor é liderado por Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados, R$ 36,7 bilhões, que também lidera por número de operações (50). Na segunda colocação está o escritório Pinheiro Neto Advogados, R$ 24,1 bilhões, e Barbosa, Müssnich, Aragão, na terceira posição com R$ 16,7 bilhões.

Reporte trimestral del mercado de fusiones y adquisiciones- Colombia

Mercado M&A de Colombia moviliza USD 612m en el tercer trimestre de 2017

  • En el tercer trimestre del año se han registrado 40 transacciones en el país
  • A lo largo de 2017 se han contabilizado 115 operaciones por USD 2.839
  • Sector Financiero y de Seguros es el más destacado del trimestre, con 6 operaciones

MERCADO M&A DE COLOMBIA

El mercado transaccional colombiano cierra el tercer trimestre de 2017 con un total de 40 operaciones, de las cuales 13 tienen un importe no confidencial que suman aproximadamente USD 612m, según el más reciente informe de Transactional Track Record. Estas cifran suponen una disminución del 6,98% en el número de operaciones y del 76,20% en el importe de las mismas con respecto al tercer trimestre de 2016.

Por su parte, en el transcurso de 2017 se han producido un total de 115 transacciones, de las cuales 39 registran un importe conjunto de USD 2.839m, lo que implica una disminución del 1,71% en el número de operaciones y del 62,06% en el importe de las mismas con respecto al mismo periodo de 2016.

De las operaciones contabilizadas de enero a septiembre, 29 son de mercado bajo (importes inferiores a USD 100m) y 10 de mercado medio (entre USD 100m y USD 500m).

En términos sectoriales, el sector Financiero y de Seguros es el que más transacciones ha contabilizado a lo largo de 2017, con un total de 18 operaciones, seguido por el de Petróleo y Gas, con 13 transacciones, Distribución y Retail, con 11, e Internet, con 8 operaciones.

Ámbito Cross-Border

Por lo que respecta al mercado cross-border, en lo que va de año las empresas colombianas han apostado principalmente por invertir en Panamá y Estados Unidos, con 4 y 3 transacciones valoradas en conjunto en USD 35,33m y USD 179,40m, respectivamente.

Por otro lado, Estados Unidos (14 operaciones) México (7) y España (6) son también los países que más han apostado por realizar adquisiciones en Colombia. Por importe destaca España, con USD 613,41m.

Private Equity y Venture Capital

En el transcurso de 2017 se han producido 8 transacciones de Private Equity, de las cuales 2 tienen un importe no confidencial conjunto de USD 157,28m. Esta cifra representa un decremento del 27% en el número de operaciones y del 83% en el importe de las mismas con respecto al mismo periodo del año pasado.

Por su parte, Colombia ha registrado en el mismo periodo 15 operaciones de Venture Capital, de las cuales 8 registran un importe revelado de USD 122,66m, lo cual representa un aumento del 200% en el número de operaciones y del 1.433% en el importe de las mismas con respecto a septiembre de 2016.

Transacción destacada

Para el tercer trimestre de 2017, Transactional Track Record ha seleccionado como operación destacada la realizada por Grupo Argos, el cual cierra la venta de su 50% en CompásCompañía de Puertos Asociados.

La operación, que ha registrado un importe de USD 135.63m, ha estado asesorada por la parte legal por Brigard & Urrutia Abogados, Gibson, Dunn & Crutcher, Dentons Cardenas & Cardenas, Greenberg Traurig, Sullivan & Cromwell US, y Philippi, Prietocarrizosa Ferrero DU & Uría.

Rankings

Para ver los rankings de asesores financieros y jurídicos de Colombia y los “Dealmakers” con mayor número de transacciones en el ámbito de fusiones y adquisiciones, haz click aquí.

 

 

Reporte trimestral de fusiones y adquisiciones- Perú

Perú registra 30 operaciones en el tercer trimestre del 2017

  • 9 operaciones registradas en el trimestre alcanzan un importe de USD 1.749m
  • A lo largo del año se ha contabilizado 91 transacciones valoradas en USD 3.425m
  • Sector Inmobiliario es el más destacado del trimestre, con 7 operaciones

PANORAMA TRANSACCIONAL DE PERÚ

El mercado M&A de Perú cierra el tercer trimestre de 2017 con un total de 30 operaciones, de las cuales 9 tienen un importe no confidencial que suman aproximadamente USD 1.749m, según el más reciente informe de Transactional Track Record. Estas cifran suponen decrementos del 23,08% en el número de operaciones y del 14,01% en el importe de las mismas, respecto al mismo periodo de 2016.

Por su parte, de enero a septiembre de 2017 se han producido un total de 91 transacciones, de las cuales 41 registran un importe conjunto de USD 3.425m, lo que implica una disminución del 19,47% en el número de operaciones y un descenso del 7,87% en el importe de las mismas, respecto a al mismo periodo del año pasado.

De las operaciones contabilizadas en los nueve meses del año, 36 son de mercado bajo (importes inferiores a USD 100m), 3 de mercado medio (entre USD 100m y USD 500m) y 2 de mercado alto (superior a USD 500m).

En términos sectoriales, el Inmobiliario es el que más transacciones ha contabilizado a lo largo de 2017, con un total de 14 operaciones, seguido por el Financiero y de Seguros, con 13 operaciones, además del sector Agricultura, Agronegocios y Ganadería, con 8 negocios realizados.

Ámbito Cross-Border

Por lo que respecta al mercado Cross-Border, en lo que va de año las empresas peruanas han apostado principalmente por invertir en Ecuador y Chile con tres operaciones cada uno. Por importe, destaca Ecuador, con USD 11,40m.

Por otro lado, España (10 operaciones), Chile (5) y México, Estados Unidos y Canadá (4 operaciones cada una), son también los países que más han apostado por realizar adquisiciones en Perú. Por importe destaca China, con USD 1.400m.

Private Equity y Venture Capital

En el transcurso de 2017 se han producido en Perú 3 transacciones de Private Equity valoradas en USD 120m, lo cual representa un descenso del 73% en el número de operaciones y del 74% en el importe de las mismas, con respecto al mismo periodo de 2016.

En cuanto al segmento de Venture Capital, a lo largo del año se han registrado 4 transacciones, de las cuales 3 tienen un importe no confidencial que suman alrededor de USD 1,53m, lo que supone un crecimiento interanual del 100% en el número de operaciones y una disminución del 45% en el capital movilizado.

Transacción destacada

Para el tercer trimestre de 2017, Transactional Track Record ha seleccionado como operación destacada la realizada por San Miguel, compañía que ha concluido la adquisición de Agrícola Hoja Redonda.

La operación, que ha registrado un importe de USD 64m, ha estado asesorada por la parte legal por Estudio Muñiz, y por Payet, Rey, Cauvi, Pérez Abogados.

Rankings

Para ver los rankings de asesores financieros y jurídicos de Perú y los “Dealmakers” con mayor número de transacciones en el ámbito de fusiones y adquisiciones, haz click aquí.

 

 

PORTUGAL: RELATÓRIO MENSAL- SETEMBRO

Fusões e Aquisições em Portugal crescem 42,73% até Setembro

  • Portugal registou 222 transações até Setembro
  • 83 transações revelaram valores que somam € 8,4 mil milhões
  • Investimentos de private equity tiveram alta de 191% no ano

PANORAMA DO MERCADO TRANSACIONAL

O mercado de fusões e aquisições de Portugal movimentou €8,4 mil milhões de janeiro a setembro, um crescimento de 42,73% face ao mesmo intervalo do ano anterior. Segundo o Relatório Mensal de M&A da Transactional Track Record, já foram registradas 222 transações no país desde o início do ano.

Dois subsetores têm liderado os movimentos transacionais no país em 2017. O segmento Imobiliário aparece como mais ativo do período, desde janeiro foram registradas 45 operações envolvendo empresas do setor, representando uma alta de 22%, seguindo tendência que se repete desde 2015. Porém, o maior crescimento foi no setor de Saúde, Higiene e Estética, cujas transações aumentaram em 27%.

Cross-Border

Em número de operações cross-border, o mercado português soma 74 operações de inbound, em que empresas portuguesas foram adquiridas por companhias estrangeiras.   Ao longo do ano, o país que mais efetuou transações em território nacional foi a Espanha, que adquiriu 19 empresas. Uma das aquisições mais expressivas, foi a aquisição da portuguesa Lestenergía – Exploração De Parques Eólicos pela Saeta Yield, operadora de projetos de energias renováveis de origem espanhola, por €104 milhões.

O Reino Unido ultrapassou, assim como a Espanha, os Estados Unidos em números de transações, foram 14 contra as 10 estadunidenses. Porém, nenhum dos dois países europeus os alcançaram em termos de aportes, visto que as transações envolvendo empresas dos EUA totalizaram mais de € 1.1 mil milhões.

Private Equity and Venture Capital

Os anúncios de investimentos realizados por firmas de investimento de private equity contabilizaram no acumulado do ano 31 operações, um aumento de 11% em relação ao mesmo período de 2016. Dez dessas transações revelaram valores que somam € 4,6 mil milhões, um incremento de 191%.

Já o cenário de venture capital permanece pouco expressivo, com investimentos na ordem de € 26 milhões no ano, representativos de uma queda de 70% no total aportado e de 25% no número de operações, 21 no ano.

TRANSAÇÃO DO TRIMESTRE

A transação do trimestre eleita pela Transactional Track Record, foi a aquisição do Grupo Elevo, detido pela Vallis Construction Sector, pela Nacala Holding, empresa com sede em Luxemburgo pertencente ao empresário Gilberto Rodrigues, pelo valor de €90 milhões.

Localizado em Lisboa, o Elevo é um grupo de engenharia e construção que resultou da fusão entre os grupos Edifer, Monte Adriano, Hagen e Eusébios. No ano de 2016, a empresa registou um volume de negócios de cerca de €450 milhões.  A Nacala Holdings recebeu assessoria jurídica da FCB&A Sociedade de Advogados, e a Vallis Construction Sector, da SRS Advogados.

ENTREVISTA:

Diogo Perestrelo, da PLMJ, discute o mercado de M&A em Portugal:

“…obstáculos regulamentares, as qualificações dos trabalhadores, a possibilidade de utilizar novos instrumentos financeiros para financiar os melhores projetos. Qualquer política que favoreça estes aspetos vai certamente contribuir para incrementar o investimento. Mas se tivesse que citar um fator apenas, diria que a estabilidade do enquadramento fiscal é crítico para um investidor internacional.”