PORTUGAL: VALOR TOTAL DE M&A AUMENTA 220% NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2017

  • Portugal acumula 78 transações no segundo trimestre de 2017, um aumento de 34% em relação ao 2T16
  • 33 operações revelaram valores que somam EUR 1.627m
  • A transação do trimestre é a venda de 75% do capital social do Novo Banco Ásia ao Well Link Group
Insight TTR

O número de aquisições de participação em empresas que atuam no segmento de consultoria aumentou em 80% de janeiro a junho de 2017, se comparado ao mesmo período de 2016.

 

O mercado de fusões e aquisições português registou 78 transações no segundo trimestre de 2017, um aumento de 34% em relação ao mesmo período do ano passado. Deste total, 33 operações revelaram valores que somam EUR 1.627m. De acordo com o Relatório do Transactional Track Record, em colaboração com Intralinks, o semestre foi concluído com 172 negociações e EUR 11.329m, um expressivo crescimento de 220% em valores divulgados.

Os sectores mais ativos no semestre foram: Imobiliário (30 transações), Financeiro e Seguros (19) – com um crescimento de 73% – Tecnologia (17) e Saúde, Higiene e Estética (14) – com 40% de aumento.

Cross-border

Em 2017, o mercado português foi movimentado por 55 aquisições inbound. Nove transações cross-border foram investimentos de private equity e venture capital estrangeiros em empresas portuguesas, um aumento de 80% comparado ao período homólogo. O país que mais realizou negócios em Portugal foi a Espanha, com 18 aquisições em território luso no ano de 2017. Já o mercado que fez a maior inversão de valores foi Luxemburgo, EUR 1.120m, que ultrapassa os Estados Unidos (EUR 1.105m). O subsetor mais ativo dentre as operações cross-border inbound também foi o Imobiliário.

No semestre, Portugal foi protagonista de seis operações outbound, com a compra de quatro empresas na Espanha, uma na Grécia e uma no Reino Unido. O subsector que mais se destacou foi Consultoria, Auditoria e Engenharia.

Private Equity e Venture Capital

O TTR registou 13 operações de private equity no segundo trimestre de 2017, mais que o dobro do que havia sido calculado no primeiro trimestre do ano e 86% a mais que o ano anterior. Entretanto, deste total, apenas cinco operações revelaram valores que somam EUR 390m, uma redução de 31% em relação ao período homônimo.

O acumulado do semestre resultou em 22 operações e EUR 2.711m, crescimento de 159%. Os sectores mais ativos foram Saúde, Higiene e Estética e Elétrica, este último com crescimento de 100%. O destaque do período foi o Grupo Sonae, que realizou quatro transações.

Já no cenário de venture capital os números continuam negativos. No trimestre foram três operações e EUR 0,31m em valor revelado. O saldo do semestre foram 17 operações e EUR 22,09m. O subsector mais ativo foi Tecnologia e o fundo destaque foi Portugal Ventures

Transação do Trimestre

O TTR escolheu como transação do trimestre a venda de 75% do capital social do Novo Banco Ásia ao Well Link Group, empresa com sede em Hong Kong que atua no setor financeiro. O valor da transação foi de EUR 145,8m. O acordo prevê ainda um conjunto de opções de compra que cobrem os restantes 25% e são exercíveis em um prazo de até cinco anos, correspondendo a um preço total de EUR 183m para o total de 100%.

O Novo Banco foi assessorado pelo Haitong Securities e contou com o apoio jurídico de Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados e MdME.

Rankings – Assessoria Financeira e Jurídica

Confira os rankings TTR de assessores Financeiros e Jurídicos (year to date) no relatório trimestral.

Relatório Completo

BRASIL: FUSÕES E AQUISIÇÕES MOVIMENTAM R$ 140 BILHÕES NO 1º SEMESTRE DE 2017

  • TTR registra 513 transações no primeiro semestre de 2017 e valor de R$ 140 bilhões
  • Brasil tem maior número de transações domésticas na LatAm no 1S17, total de 349
  • Aquisição da NTS pela Brookfield Asset Management é a transação do trimestre
Insight TTR

No período de janeiro a junho de 2017, o número de transações envolvendo a aquisição de participação em empresas que atuam na produção de eletrônicos aumentou 75%, comparado ao mesmo período de 2016. Uma das oprações de destaque do semestre foi o aporte de capital de R$2 milhões na Chip Inside. A startup de tecnologia desenvolveu um colar adaptado ao pescoço dos bovinos com capacidade de monitorar o comportamento dos animais a partir da ruminação, do ócio e da reprodução, contribuindo para a saúde e prevenção de doenças.

 

 

De acordo com o Relatório da Transactional Track Record e LexisNexis sobre o mercado de fusões e aquisições brasileiro, de abril a junho de 2017 foram registradas 245 transações, um pequeno crescimento de 4,7% comparado ao ano passado. Deste total, 104 operações tiveram valores divulgados que somam R$63,3 bilhões, aumento de 121% em relação ao 2T16. Entre os subsetores mais ativos do trimestre, estão Tecnologia (47 transações), Financeiro e Seguros (36) e Distribuição e Retail (25).

O balanço final do primeiro semestre foi de 513 transações e R$ 140 bilhões, um valor 175% maior que o período homônimo. Destaque para o setor Financeiro e Seguros, que cresceu 53%.

Fusões e aquisições brasileiras na América Latina

No panorama latinoamericano, o Brasil se destaca com o maior número de transações domésticas no primeiro semestre de 2017, um total de 349. O país continua na mira dos mercados estrangeiros e foi protagonista de 109 aquisições inbound, mais que o dobro do mercado mexicano, que registrou 48 operações cross-border inbound.

O poder de compra do país no exterior é inferior ao de Chile e México. Ambos os países realizaram mais aquisições no exterior (20 e 33 respectivamente) do que o Brasil, que somou 19 transações outbound no semestre. O número de desinvestimentos estrangeiro em participadas brasileiras chegou a 39, o dobro dos demais países latinoamericanos.

A maior transação do trimestre na América Latina ocorreu em território brasileiro: a aquisição da Nova Transportadora do Sudeste (NTS) pela Brookfield Asset Management por R$13,2 bilhões.

Cross-border

O país que mais adquiriu negócios no Brasil foi os Estados Unidos, com o saldo de 35 transações e investimento de R$12,3 bilhões no primeiro semestre de 2017. Na sequência por número de operações estão França e Alemanha.

O país norte-americano foi também o alvo dos investimentos brasileiros, que adquiriu 11 empresas e aplicou R$511 milhões nos Estados Unidos de janeiro a junho de 2017. O maior valor investido no exterior foi realizado no Reino Unido, onde o Brasil injetou R$3,7 bilhões em uma única transação ainda em andamento. A Natura, empresa de cosméticos, fragrâncias e higiene pessoal, assinou contrato para adquirir 100% das ações de emissão da The Body Shop, empresa que se dedica à fabricação e comercialização de cosméticos e produtos de beleza detida pela L’Oréal.

Private Equity e Venture Capital

No segundo trimestre de 2017, o TTR registrou 27 operações de private equity, um aumento de 23% em relação ao mesmo período de 2016. Deste total, 12 revelaram valores que somam R$7,6 bilhões, crescimento de 62%. Entretanto, o acumulado do semestre é inferior ao ano passado: 44 transações – uma redução de 19% – e R$9,9 bilhões. O setor mais ativo foi o de Saúde, Higiene e Estética, com sete operações e um crescimento de 40%. A gestora destaque do semestre é a Pátria Investimentos, que participou de cinco transações contabilizadas no TTR.

Já no cenário de venture capital, foram registradas 44 operações, que revelaram valores de aproximadamente R$ 1 bilhão, um aumento de 188% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. O acumulado do semestre totaliza em 87 transações e o valor de R$1,5 bilhão. O subsetor mais ativo foi Tecnologia, com 43 transações. O fundo destaque foi o Bossa Nova Investimentos, com 17 operações computadas no database.

Transação do Trimestre

A maior operação do período foi escolhida também pela TTR como transação do trimestre: a conclusão da venda de uma participação no capital social da Nova Transportadora do Sudeste (NTS) para a Brookfield Asset Management. O valor total recebido pela vendedora Petrobras é composto de US$2,59 bilhões, referentes à venda das ações, e US$1,64 bilhões de debêntures conversíveis em ações emitidas pela NTS. O restante, US$850 milhões, será pago em cinco anos e atualizado no período.

A NTS opera uma rede de gasodutos na região sudeste. A operação faz parte do programa de parcerias e desinvestimentos que totalizou USD 13,6bi no biênio 2015-2016.

A Petrobras contou com a assessoria financeira do Banco Bradesco BBI e jurídica do escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados, bem como do Hogan Lovells Brasil. Já a Brookfield foi assessorada pelos escritórios Pinheiro Neto Advogados, Torys e Norton Rose Fulbright.

Rankings – Assessoria Financeira & Jurídica

Confira o ranking TTR de assessores Financeiros e Jurídicos (year to date) no relatório trimestral.

 

TTR in the Press

FOLHA DE SP –  “De papel passado

CONSULTOR JURÍDICO – “Mattos Filho lidera assessoria em fusões e aquisições no 2º trimestre

MONITOR DIGITAL – “Mercado de fusões e aquisições movimenta R$140,5 bi no semestre

Relatório Completo

 

PORTUGAL: NÚMERO DE FUSÕES DE AQUISIÇÕES AUMENTA 39% NO MÊS DE ABRIL

  • Portugal registou 25 transações no mês de abril
  • 11 transações revelaram valores que somam EUR 726m e superam em 86% abril de 2016
  • Número de transações no subsetor Elétrico passa o volume do segmento Imobiliário

 

O mercado de fusões e aquisições de Portugal registou 25 transações no mês de abril, um aumento de aproximadamente 39%, de acordo com o Relatório Mensal de M&A do Transactional Track Record. Deste total, 11 transações revelaram valores que somam EUR 726m e superam em 86% o montante de abril de 2016. No acumulado do ano, Portugal soma 121 operações e valor total de EUR 9,1m, um expressivo crescimento de 297% em relação ao mesmo período do ano passado.

Contrariando a tendência dos últimos meses, o subsetor que mais se destacou em abril foi o Elétrico, com cinco transações. Na sequência está o segmento Imobiliário com quatro, que no acumulado do ano permanece como o mais ativo, com um crescimento de 25% em relação ao ano anterior. Só em 2017 já são 20 transações. No pódio do ano ainda estão Tecnologia (13 transações e uma redução de 19%), Distribuição e Retail (12) e Financeiro e Seguros (11).

Outro setor que chama a atenção, não pelo número de transações, mas pelo crescimento é  Petróleo e Gás. As transações que envolveram a aquisição de participação em empresas no segmento cresceram 200% de janeiro a abril de 2017, na comparação com o mesmo período do ano passado. A maior operação anunciada neste período foi o acordo definitivo assinado pela EDP – Energias de Portugal para a venda da empresa espanhola Naturgas Energía Distribución a um consórcio de investidores internacionais.

 

 

CROSS-BORDER

O mercado português soma 40 operações de cross-border inbound. Desde o começo deste ano os Estados Unidos perdem relevância e é a Espanha que movimenta o maior número de transações. O vizinho ibérico já adquiriu ao longo destes quatro meses 18 empresas em território nacional e investiu EUR 872m. Os estadunidenses registaram seis aquisições e um aporte de mais de EUR 1.020m. Na sequência em número de transações e valor está o Reino Unido. O subsetor mais ativo neste âmbito segue sendo o Imobiliário.

O cenário outbound está pouco movimentado. Em 2017, Portugal fez quatro investimentos no exterior, sendo duas aquisições em Espanha, uma na Grécia e uma no Reino Unido. O segmento mais ativo é Consultoria, Auditoria e Engenharia.

PRIVATE EQUITY E VENTURE CAPITAL

Em abril, o TTR contabilizou cinco transações de private equity, um aumento de 67% em relação ao mesmo período do ano anterior. Duas revelaram valores que somam EUR 34,5m, um incremento de 188%. No acumulado do ano, os setores mais movimentados foram Elétrico e Saúde, Higiene e Estética. A empresa que mais se destacou foi o Grupo Sonae.

Enquanto isso, o cenário de venture capital do mês foi pouco expressivo, com duas operações e EUR 0,06m de valor acumulado. Em 2017 foram 16 transações e um total de EUR 21,84m.

TRANSAÇÃO DO MÊS

A EDP (Euronext Lisboa: EDP), através da sua filial espanhola EDP Naturgas Energía, concluiu a aquisição de 82.000 pontos de abastecimento de gás propano liquefeito (GLP) em Espanha da Repsol (BME: REP). O valor da operação é de EUR 116m.

Os pontos de abastecimento estão localizados nas Comunidades Autónomas de Astúrias, Cantábria e País Basco, zonas espanholas onde opera a EDP Portugal.

A venda faz parte da estratégia de desinvestimento da Repsol em ativos não estratégicos. A companhia assinou um acordo para vender de forma paralela seus ativos de distribuição gás propano em Extremadura para a Gas Extremadura. Ambas operações representam para a Repsol de forma conjunta um resultado líquido depois dos impostos de EUR 76m.

RANKINGS – ASSESSORIA FINANCEIRA E JURÍDICA

Confira os rankings TTR de assessores Financeiros e Jurídicos (year to date) no relatório mensal completo.

BRASIL: FUSÕES E AQUISIÇÕES SOMAM R$111 BILHÕES EM 2017

  • Brasil registra 14 transações outbound, com destaque para aquisições nos EUA e na Turquia
  • Número de transações no segmento Mídia, Multimídia e Editorial cresce 150% em 2017
  • 24 operações revelam valores que somam R$ 29,8bi, um aumento de 144%
Insight TTR

O número de transações envolvendo empresas que atuam no segmento de Mídia, Multimídia e Editorial registrou aumento de 150% de janeiro a abril de 2017, na comparação com o mesmo período de 2016. Foi destaque neste período a aquisição de 51% da empresa Porta dos Fundos realizada pela Viacom, dona dos canais MTV e Nickelodeon.

Porta dos Fundos é o canal do YouTube mais influente do mundo, de acordo com o ranking Zefr, e conta com mais de 13 milhões de inscritos. A empresa possui uma linha de produtos licenciados, aplicativos, games, séries de TV e filme.

 

 

O mercado de fusões e aquisições brasileiro registrou em abril 73 transações, uma queda de 14% na comparação com o mesmo mês de 2016. Entretanto, o saldo de 2017 permanece positivo, segundo o Relatório da Transactional Track Record* em colaboração com LexisNexis e TozziniFreire Advogados, já que os quatro primeiros meses do ano contabilizam 342 operações, um aumento de quase 5%.

As 24 operações que revelaram valores somam R$ 29,8bi, crescimento expressivo de 144%. O valor total de 2017 subiu 223% e fecha o quadrimestre em R$ 111,7bi. Do volume mensal, sete são consideradas grandes transações – com valores acima de R$ 500m – e juntas somam R$ 28bi. As 16 pequenas operações – valores inferiores a R$ 200m – somam R$ 661m.

O subsetor mais ativo dos quatro primeiros meses do ano continua sendo o de Tecnologia, com 59 operações, 13% a menos que o mesmo período do ano de 2016. Na sequência estão os subsetores Financeiro e Seguros (48) e Internet (39).

Cross-border

No acumulado do ano foram registradas 75 aquisições cross-border inbound. Os Estados Unidos continuam sendo o país que mais se destaca em volume, com a aquisição de 27 negócios de janeiro a abril, um aumento de 17% em relação ao ano passado. Na sequência está a França (7) e a Alemanha (6). A China se destaca em valor de operações, tendo acumulado R$ 17,8bi ao longo deste ano com cinco aquisições. Os subsetores mais ativos são o de Consultoria, Auditoria e Engenharia e Tecnologia, cada um com 10 operações.

Nos quatro primeiros meses do ano foram registradas 14 operações outbound, ou seja, empresas brasileiras comprando estrangeiras. Neste sentido, o Brasil tem feito o maior número de aquisições nos EUA, entretanto o maior investimento foi feito na Turquia, com a compra da produtora de aves Banvit pela BRF e Qatar Investment Authority no valor de R$ 1bi.

Private Equity e Venture Capital

No mês de abril foram registradas seis operações de private equity, mesmo volume do ano anterior. Duas revelaram valores que somam R$ 553m, um encolhimento de 27%. O subsetor que mais se destaca é o Imobiliário com o registro de três transações e crescimento de 50%. O subsetor de Distribuição e Retail manteve o número de operações do ano passado (3).

No cenário de venture capital, foram contabilizadas 21 transações, um aumento de 24% em relação ao mesmo período de 2016. Destas, apenas quatro revelaram valores que somam R$ 22m. O subsetor mais movimentado também foi o de Tecnologia, com o registro de 31 operações no acumulado do ano. A empresa que mais se destacou no período foi a Bossa Nova, que só nos quatro primeiros meses de 2017 anunciou 17 investimentos.

Transação do mês

 

A GTM do Brasil, empresa dedicada à distribuição de produtos químicos detida pela GTM Holdings, adquiriu 100% do capital social da quantiQ, empresa brasileira do mesmo ramo detida pela Braskem. O valor da transação é de R$ 550m, dos quais R$ 450m serão pagos na conclusão da venda e o restante em até 12 meses. A operação foi aprovada sem restrições pelo Conselho Administrativo de Desefa Econômica (CADE).

A quantiQ é uma distribuidora de produtos químicos com quatro centros de distribuição e sete bases logísticas. Atua em mais de 50 segmentos de mercado, incluindo commodities e especialidades químicas.

A GTM distribui produtos químicos na América Latina e possui operações no Brasil, México, Guatemala, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia, Equador, Peru e Argentina. A empresa é controlada pela Advent International, um fundo investidor global de private equity.

Nesta transação, o vendedor Braskem contou com a assessoria financeira do Banco Bradesco BBI e jurídica do escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. E Quiroga Advogados. Já a Advent International foi assessorada pelo Banco Itaú BBA e pelo escritório Lobo & de Rizzo Advogados.

Rankings – Assessoria Financeira & Jurídica

O pódio do ranking TTR de assessores financeiros por valores das transações é liderado pelo Banco Bradesco BBI, que acumulou em 2017 o valor de R$ 8,9bi. O destaque deve-se à assessoria aos compradores na incorporação da Valepar pela Vale do Rio Doce. Com uma pequena diferença, a Morgan Stanley (R$ 8,1bi) fica em segundo lugar no ranking e, na sequência, o terceiro colocado é o Banco Itaú BBA (R$ 5,1bi) – que lidera por número de operações.

O ranking de assessores jurídicos por valor é liderado por TozziniFreire Advogados (R$ 8,7bi), que apresentou um crescimento de mais de 1000% em relação ao mesmo período do ano passado. Com pequena diferença de valor estão em segundo e terceiro lugar, os escritórios Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. E Quiroga Advogados (R$ 8,155bi) e Demarest Advogados (R$ 8,154bi). Já por volume de operações, o líder é o escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados com 15 negócios.

Confira o ranking TTR de assessores Financeiros e Jurídicos (year to date) no relatório mensal.

TTR Dealmaker Q&A com Felipe Creazzo, sócio do escritório K&L Gates

Em março deste ano a Arvato Bertelsmann, empresa sediada em Guetersloh, Alemanha, aumentou sua participação na brasileira Intervalor para 81,5%, após sua aquisição inicial de 40% em junho de 2015. O sócio da K&L Gates, Felipe Creazzo, liderou uma equipe internacional na assessoria ao comprador. Confira a entrevista em inglês.

 

TTR in the Press

INVESTIMENTOS E NOTÍCIAS – “Fusões e aquisições já somam R$ 111 bilhões em 2017”

MONITOR DIGITAL – “Fusões e aquisições somam R$ 111 bilhões nos quatro meses de 2017”

Relatório Completo

PORTUGAL: FUSÕES E AQUISIÇÕES NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2017 SOMAM VALORES MAIORES QUE TODO O ANO 2016

  • Foram contabilizadas 95 transações no 1T17, um volume 32% maior que 1T16
  • 38 operações revelaram valores que somam EUR 8.378m, crescimento de 315%
  • O setor que mais se destacou no período foi o Imobiliário

Insight TTR

As aquisições inbound verificadas no primeiro trimestre de 2017 correspondem a um crescimento de 23% em comparação com o período homólogo de 2016, em que apenas se registaram 26 aquisições em Portugal protagonizadas por empresas estrangeiras. As 32 transações que ocorreram apenas nos três primeiros meses de 2017 correspondem a, aproximadamente, 36% do número total de transações inbound registadas no ano 2016 inteiro.

 

 

O mercado de fusões e aquisições português registou 95 transações no primeiro trimestre de 2017, um volume 32% maior que o conquistado nos três primeiros meses do ano anterior e superior ao alcançado em 2015. De acordo com o Relatório Transacional do Mercado Ibérico da TTR em colaboração com a Intralinks, 38 transações revelaram valores que somam EUR 8.378m, um crescimento de 315%. O montante total somado na abertura de 2017 já supera todo o valor registado no ano 2016 inteiro. Durante o período analisado, foram contabilizadas sete operações consideradas de grande porte – cujo valor é igual ou maior que EUR 250m.

O subsetor que mais se destacou no mercado de M&A português neste primeiro trimestre, assim como nos dois anos anteriores, foi o Imobiliário, com o registo de 16 transações, um salto de 45%. Na sequência está Tecnologia, com redução de 38% e 10 operações. Outros destaques são os setores Financeiro e Seguros, Distribuição e Retail.

 

Cross-border Inbound

As empresas portuguesas continuam na mira dos estrangeiros e os espanhóis saem na frente, dentre os investidores, com a aquisição de 13 negócios em Portugal. Cinco companhias foram adquiridas pelos Estados Unidos, que por sua vez, regista o maior valor revelado dentre os estrangeiros. A Alemanha contabilizou quatro transações inbound. Os setores que mais se destacaram foram Imobiliário e Químico e Materiais Químicos. Já no âmbito outbound, os portugueses adquiriram três empresas internacionais no período.

 

Private Equity e Venture Capital

O trimestre fechou com 10 operações de private equity em Portugal, um aumento de 43% em relação ao ano anterior. Destas, 5 revelaram valores que somam EUR 1.9m, crescimento de 294%. O subsetor que mais se destaca é Financeiro e Seguros.

No cenário de venture capital, foram realizadas 14 operações, aumento de 27%. Deste total, 10 transações revelaram valores que somam aproximadamente EUR 22m, uma redução de 71%. O setor mais movimentado foi o de Tecnologia, confirmando a mesma tendência dos quatro anos anteriores.

 

Transação do Mês

A Artá Capital, private equity com sede em Madrid, por meio dos fundos Artá Capital Fund II FCR, Artá Capital Fund II A SCR, Artá Capital Fund II B SCR e Deyá Capital IV SCR e do investidor privado Carlos Moreira da Silva, concluiu a aquisição de 100% da portuguesa Gascan, detido pela holding Eficácia Verde. O valor da operação foi de EUR 70m.

A Gascan é uma empresa com sede em Lisboa que atua na distribuição e comercialização de gás propano canalizado.

 

Rankings – Assessoria Financeira e Jurídica

Confira os rankings TTR de assessores Financeiros e Jurídicos (year to date) no relatório trimestral.

 

Relatório Completo