Relatório Anual 2017 – Portugal

Fusões e Aquisições envolvendo empresas portuguesas movimentam  11,4 mil milhões em 2017

 

  • Portugal registou 327 transações no ano
  • 127 transações revelaram valores que somam € 11,4 mil milhões
  • Investimentos de private equity tiveram alta de 53% no ano

 

 

PANORAMA DO MERCADO TRANSACIONAL

De acordo com o Relatório Anual de M&A da Transactional Track Record, os anúncios de compra e venda de participação que envolveram empresas portuguesas movimentaram € 11,4 mil milhões de janeiro a dezembro, alta de 13,58% face ao ano anterior. Foram 327 operações, representativas de um crescimento de 8,64% em comparação ao reportado em 2016.

O segmento Imobiliário teve forte influência no volume financeiro do ano, aparecendo como o mais ativo do período, com 66 operações registadas, uma alta de 32%, seguindo tendência que se repete desde 2015. O destaque negativo fica para a queda de 6% nas transações do sector Financeiro e Seguros, que encerrou o ano com 33 operações.

 

PRIVATE EQUITY E VENTURE CAPITAL

Os anúncios de investimentos realizados por firmas de investimento de private equity tiveram destaque em 2017. Foram contabilizadas 43 operações no período, um aumento de 19% em relação ao ano precedente. Destas, 16 transações revelaram valores que somaram € 5,6 mil milhões, um incremento de 53%. O subsetor Saúde, Higiene e Estética foi o alvo preferido dos fundos, totalizando seis operações.

Já o cenário de venture capital teve em 2017 um ano de pouca expressividade, com investimentos na ordem de € 92 milhões, representativos de uma queda de 3% no total aportado e de 24% no número de operações, 29 no ano. Tecnologia, 16 operações, e Internet, seis, foram os segmentos que mais atraíram o apetite dos investidores, apesar de ter sido registada queda de 30% e 40%, respetivamente.

 

CROSS-BORDER

Em número de operações cross-border, o mercado português somou 116 operações inbound, em que empresas portuguesas foram adquiridas por companhias estrangeiras.  Ao longo do ano, o país que mais efetuou transações em território nacional foi a Espanha, que adquiriu 33 empresas, em investimentos que chegaram a € 965 milhões. O Reino Unido ultrapassou, assim como a Espanha, os Estados Unidos em números de transações, foram 14 contra as 13 estadunidenses, representativas de uma queda de 31,58% do interesse das empresas dos EUA por Portugal.

As aquisições de empresas estrangeiras nos subsetores de Tecnologia e Internet tiveram alta de 23,08% em comparação com 2016. Já o setor Imobiliário foi o mais ativo, seguido por Tecnologia e Financeiro e Seguros.

No que diz respeito a transações cross-border outbound, registaram-se um total de 19 operações por empresas nacionais, das quais sete tiveram como objeto a aquisição de empresas em Espanha.

 

TRANSAÇÃO DO TRIMESTRE

A transação destacada pela Transactional Track Record no último trimestre do ano foi a conclusão da venda da refinaria de petróleo portuguesa Artlant PTA pela Caixa Geral de Depósitos para o grupo de origem tailandesa Indorama, pelo valor de € 28 milhões.

A Artlant produz ácido tereftálico purificado, a matéria-prima utilizada para a produção de politereftalato de etileno, componente base no fabrico de embalagens de plástico para uso alimentar.

A Indorama foi assessorada na transação pelo escritório jurídico Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, enquanto Linklaters Portugal prestou assessoria à Caixa Geral de Depósitos.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

seventeen − 7 =