O mercado de fusões e aquisições brasileiro registrou uma redução de 20% no número de transações registradas no 1º Trimestre de 2016

  • Apesar d a retração no Mercado de Fusões e Aquisições o segmento de Tecnologia segue aquecido
  • O mercado de fusões e aquisições brasileiro registrou um aumento de 35% no número de operações no segmento de Tecnologia

 São Paulo, 11 de abril de 2016 – O mercado de fusões e aquisições brasileiro registrou uma redução de 20% no número de transações registradas no 1º Trimestre de 2016 em relação ao mesmo período do ano passado.  Foram registradas 198 transações que movimentaram BRL 29,72bi, 12% a mais que no mesmo período de 2015 segundo o Relatório Trimestral Brasil elaborado pelo TTR (www.TTRecord.com) em colaboração com a Merrill Corporation.

1

Subsetores mais ativos

No 1º Trimestre de 2016 os subsetores mais ativos do mercado brasileiro foram: Tecnologia (42 transações); Financeiro e Seguros (30 transações); Internet (30 transações) e Distribuição e Varejo (17 transações), respectivamente. Cabe destacar, que nestes três primeiros meses do ano, foi registrado um aumento de 35% no número de operações no segmento de Tecnologia e 15% no segmento Financeiro e Seguros em relação ao 1º Trimestre de 2015.

2

 

Aquisições feitas por empresas estrangeiras no Brasil (Inbound)

 Em relação as aquisições realizadas por empresas estrangeiras no Brasil (transações Inbound), foram registradas até agora 47 transações, sendo que o maior comprador estrangeiro, os Estados Unidos, somente realizou 18 operações, que representa uma redução de 28% no número de transações registradas no mesmo período do ano passado.

Cabe destacar que o número de transações realizadas no segmento de Tecnologia e Internet até agora é um 42,86% inferior ao mesmo período do ano passado.

Entre os principais compradores estrangeiros, além dos Estados Unidos, estão: Luxemburgo (6 transações), Canadá (4 transações), Alemanha (3 transações) e França (3 transações). E o subsetor que mais tem atraído investimento estrangeiro é o de Tecnologia, seguido por: Distribuição e Varejo; Financeiros e Seguros; e Mineração.

 Empresas brasileira adquirindo empresas estrangeiras (Outbound)

Em relação as aquisições realizadas por empresas brasileiras em empresas estrangeiras (Outbound), o Brasil realizou até agora um total de 5 transações, sendo os destinos dos investimentos brasileiros: Argentina, Chile, Colômbia, Ilhas Caimão e Estados Unidos.

Cabe destacar que as empresas brasileiras investiram principalmente no segmento de Tecnologia.

Empresas brasileiras vendendo participadas no estrangeiro

E em relação as empresas brasileiras vendendo participações no estrangeiro até agora foram registradas 8 operações de desinvestimentos.

Private Equity

No 1º Trimestre de 2016 foram registradas 26 transações envolvendo empresas de Private Equity no mercado brasileiro, sendo que 14 delas envolveram empresas estrangeiras. Do total de 26 operações apenas 18 tiveram seu valor divulgado, movimentando o total de BRL 3,26bi. Esse volume movimentado representa um aumento de 76,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

Cabe destacar que entre os subsetores de maior interesse das Private Equity estão Farmacêutico, Parafarmácia e Cosmética; Mineração; e Tecnologia; e também, que entre as privates equities que mais realizaram operações no mercado brasileiro estão a Mubadala dos Emirados Árabes Unidos, a Carlyle e a HIG Capital, ambas dos Estados Unidos, e as brasileiras Invest Tech e Kinea Investimentos.

Venture Capital

No 1º Trimestre de 2016 já foram registradas 27 transações envolvendo empresas de Venture Capital no mercado brasileiro, sendo que apenas 17 delas tiveram seu valor divulgado, movimentando o total de BRL 487,65m, e finalmente, do total de transações apenas 11 delas envolveram empresas estrangeiras.

Os subsetores de maior interesse das Venture Capital neste 1º Trimestre de 2016 são: Tecnologia; Internet; e Telecomunicações. E entre as empresas de Venture Capital que mais realizaram operações no mercado brasileiro estão as brasileiras Oxigênio Aceleradora, Monashees Capital e Wayra Brasil, e as norte-americanas Qualcomm Ventures e Valor Capital Group.

Mercado de Capitais

No 1º Trimestre de 2016 somente foram registradas 4 operações de tipo Follow-on concluídas. Juntas elas movimentaram BRL 596,63m.

As Maiores Transações do 1º Trimestre de 2016 (Anunciadas e Concluídas)

3

Transação destacada do 1º Trimestre de 2016

A transação destacada do 1º Trimestre de 2016 é a compra negócio de cosméticos (Novita) da Hypermarcas realizada pela empresa norte-americana Coty. A operação anunciada em novembro de 2015 e concluída em fevereiro de 2016 movimentou BRL 3,8bi.

Participaram como assessores financeiros da operação Merrill Lynch Brasil e BR Partners Assessoria Financeira. E como assessor jurídico o escritório de advocacia Souza Cescon Advogados.

Rankings do 1º Trimestre de 2016

Neste 1º Trimestre de 2016 a empresa Vinci Partners lidera o ranking TTR de assessoria financeira em Fusões e Aquisições por Número de transações, seguido pela Ártica Investimentos e pela Lazard. Em relação ao ranking TTR de assessoria financeira em Fusões e Aquisições por Valor Total de transações, a Lazard lidera o ranking  seguido pela IGC Partners Assessoria Empresarial e pela Vinci Partners.

Em relação ao ranking de assessoria jurídica deste 1º Trimestre de 2016, oTozziniFreire Advogados lidera o ranking TTR de Fusões e Aquisições por Número de transações, seguido Stocche, Forbes, Padis, Filizzola, Clapis, Passaro, Meyer e Refinetti Sociedade de Advogados e pelo Pinheiro Neto Advogados. Em relação ao ranking TTR de assessoria jurídica em Fusões e Aquisições por Valor Total de transações, o Trench, Rossi e Watanabe Advogados lidera o ranking seguido pelo Demarest Advogados e pelo Pinheiro Neto Advogados.

Wagner Marques Rodrigues
Research and Business Intelligence Director
TTR – Transactional Track Record
www.TTRecord.com
wagner.rodrigues@TTRrecord.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *