Relatório mensal: Brasil- Outubro, 2017

Investimentos de Venture Capital crescem 470% em outubro no Brasil

  • Investimentos de Venture Capital somam R$ 139 milhões no mês
  • País soma 64 transações em outubro, retração de 27,27% em relação ao mesmo mês de 2016
  • Mercado brasileiro contabiliza 587 transações domésticas em 2017

Venture Capital e Private Equity

O balanço do mês de outubro foi positivo para os investimentos de venture capital no Brasil, que registrou 13 operações dessa modalidade de investimento no mês, um crescimento de 18% sobre o que foi registrado no mesmo período de 2016.

Destas operações, cinco tiveram seus valores revelados, somando um total de R$ 139 milhões investidos, um salto de 470% em relação ao período homólogo do ano passado. No decorrer de 2017, o setor que registrou o maior interesse dos investidores foi o de Distribuição e Retail, que recebeu um aporte 50% superior ao do ano anterior.

Já no cenário de private equity, no ano, foram contabilizadas 69 operações, das quais 31 tiveram valores revelados que somam R$17,2 bilhões, alta de 27% sobre o volume do mesmo período de 2016.  Os segmentos Saúde, Higiene e Estética e Imobiliário lideraram os movimentos dos investidores, registrando crescimento de 50% cada.

Fusões e aquisições no Brasil em outubro

Foram registradas 64 transações em outubro no mercado de M&A brasileiro, número que representa uma retração de 27,27% em relação ao mesmo mês de 2016. Destas, 29 operações revelaram valores que ultrapassam a casa dos R$ 10,1 bilhões, queda acentuada de 46,74% no período. Outubro foi o mês com menor número de transações no ano.

O setor mais movimentado durante os dez primeiros meses de 2017 foi Tecnologia, com o registro de 142 transações, que não foram suficientes para acompanhar os números do ano anterior, ficando 22% abaixo dos resultados obtidos em 2016, apesar de ter sido o setor com mais transações no mês de outubro, 12.  Em seguida, destaque para Petróleo e Gás, com 9 transações no mês. Apenas o segmento Imobiliário obteve crescimento no ano, 61%, devido às 79 operações contabilizadas no período.

Panorama Latino Americano

O mercado brasileiro de M&A registrou o maior número de fusões e aquisições nos dez meses corridos no ano na América Latina. Foram 593 transações domésticas no país – enquanto Chile, segundo colocado, registrou 89, seguido por Argentina, com 83.

O país contabilizou ainda 187 aquisições cross-border inbound, mais que o dobro do México, que fechou o período com 70 operações. Porém, é do México a liderança no volume de aquisições outbound, com 55 transações – incluindo a aquisição da brasileira Vigor pela mexicana Lala Alimentos – enquanto o mercado brasileiro contabilizou 35.

Operações cross-border

Os investimentos das empresas norte-americanas voltaram a ter saldo positivo. Desde o início de 2017, foram 69 operações, um aumento de 6,15% em relação ao período homólogo do último ano, somando investimento superior a R$ 15,8 bilhões de reais nas aquisições de empresas brasileiras. Investimentos provenientes da China aparecem na sequência, totalizando R$ 11,5 bilhões, seguido por Austrália, com a aplicação de R$ 7,2 bilhões no mercado brasileiro.

Empresas que atuam no segmento de Tecnologia e Internet foram as que mais atraíram investimento estrangeiro – 37 transações. No âmbito outbound, o Brasil fez 11 aquisições nos Estados Unidos que somam R$ 511 milhões, e 7 na Argentina, totalizando R$ 341,7 milhões.

Transação TTR do mês

A conclusão da aquisição da Vigor Alimentos, empresa brasileira fabricante de produtos lácteos e alimentos processados, pela Lala Derivados Lácteos, empresa mexicana do mesmo setor detida pelo Grupo Lala, pelo valor aproximado de R$ 5 bilhões de reais, foi eleita como a transação de destaque do mês.

Os recursos obtidos pela JBS com a venda da Vigor seriam destinados para amortização dívidas da companhia.

Entrevista com Thiago Sandim

“…Isso tudo criou um aperto de crédito em alguns grupos, que deixa como única saída a venda de ativos. O que para uns é crise, para outros é oportunidade.”

Leia a entrevista completa aqui!

 

Ranking TTR

O pódio do ranking TTR de assessores financeiros por valores das transações é liderado pelo Banco Bradesco BBI, que acumulou em 2017 o valor de R$ 17,7 bilhões. Em segundo lugar aparece o Banco BTG Pactual, com R$ 16,4 bilhões, e, na sequência, o Banco Itau BBA– que lidera por número de operações (22) – com R$ 15,7 bilhões.

O ranking de assessores jurídicos por valor é liderado por Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados, R$ 36,7 bilhões, que também lidera por número de operações (50). Na segunda colocação está o escritório Pinheiro Neto Advogados, R$ 24,1 bilhões, e Barbosa, Müssnich, Aragão, na terceira posição com R$ 16,7 bilhões.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *