Relatório mensal: Portugal- Outubro, 2017

Fusões e aquisições crescem 45,86% em Portugal em outubro

  • Transações revelaram valores que somam € 1,02 mil milhões
  • Investimentos de private equity tiveram alta de 150% no mês

CENÁRIO DE PORTUGAL

O volume de fusões e aquisições no mercado transacional português somou € 1,02 mil milhões, um salto de 45,86% comparado ao mesmo período de 2016. O TTR registou 16 operações em Portugal em outubro. Desde o início do ano, o país já soma 241 negócios, que alcançaram valor total superior a € 9,4 mil milhões, crescimento de 43,1% no valor das operações.

Tecnologia foi o subsetor com mais destaque neste mês, com três transações, porém, com queda de 19% no número de operações no decorrer do ano. O segmento Imobiliário  foi o que mais recebeu investimentos desde janeiro, foram 46 operações que representaram uma alta de 21%, seguindo a tendência que se repete desde 2015. O maior crescimento foi no setor de Saúde, Higiene e Estética, com aumento de 38% de negócios anunciados.

CROSS-BORDER

O mercado português totalizou 81 operações de cross-border inbound. Destas, 23 foram investimentos de empresas com sede em Espanha. O vizinho ibérico investiu € 607 milhões em empresas portuguesas ao longo do ano. Em seguida, destacam-se os investimentos de empresas do Reino Unido, com 14 aquisições registradas que agregaram € 122,4 milhões.

Os investimentos de Portugal no mercado estrangeiro concentraram-se no Reino Unido e em França, onde o país fez as maiores aquisições do ano, € 5 milhões e € 3 milhões, respetivamente. Por outro lado, Espanha foi o país onde mais se realizaram aquisições – quatro, de janeiro a outubro.

PRIVATE EQUITY E VENTURE CAPITAL

No último mês, o TTR contabilizou cinco transações de private equity, num total de 37 no decorrer do ano, salto de 23% comparado ao mesmo intervalo de 2016. O total aportado também tem saldo positivo, 191% de crescimento em 2017, tendo alcançado o valor de € 4,6 mil milhões em operações dessa modalidade. Saúde, Higiene e Estética e Distribuição e Retail foram os segmentos com mais procura pelos investidores de Private Equity. 

O cenário de venture capital, que no ano tem registado resultados pouco expressivos, com queda de 23% no número de operações, teve em outubro um bom resultado. Foram três operações reportadas, que somaram € 48,22 milhões, um salto de 655% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

TRANSAÇÃO DO MÊS

A transação destacada pelo TTR foi a conclusão da aquisição da totalidade do capital social da EDP Gás e suas subsidiárias, EDP Gás Distribuição e EDP Gás GPL, pela REN – Redes Energéticas Nacionais, em uma transação que movimentou € 532,4 milhões.

Com a transação, a REN procura atingir uma maior integração dos negócios de gás natural e, também, manter um forte perfil de crédito e financeiro. Para financiar a operação, o conselho de administração da REN aprovou o recurso a linhas de crédito e um aumento do capital social, a realizar mediante oferta pública de subscrição. Tais condições estão sujeitas à aprovação dos órgãos sociais competentes da REN.

A EDP – Energias de Portugal teve assessoria financeira na transação da BBVA e do Millenium BCP, enquanto a REN – Redes Energéticas de Portugal foi assessorada financeiramente pelo Haitong Bank. Atuaram como assessores legais da REN, os escritórios Uría Menéndez – Proença de Carvalho e Garrigues Portugal. O PLMJ assessorou a REN no financiamento da operação.

ENTREVISTA: João Caldeira, sócio na CMS Rui Pena & Arnaut

“…a crescente dinâmica e afirmação das “Startups” portuguesas, inclusivamente no contexto internacional, deverá conduzir a um aumento dos investimentos de “Venture Capital“.

Leia a entrevista completa aqui.

RANKING: Assessores Financeiros e Jurídicos

O pódio do ranking de assessores financeiros por valores das transações é liderado pelo Natixis Partners, que acumulou em 2017 o valor de € 2,5 mil milhões. Em seguida, aparecem BBVA, com €1,1 mil milhões, e Millennium BCP, €1 mil milhões. Já o ranking de assessores jurídicos por valor é liderado por Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, €1 mil milhão, seguido por Vieira de Almeida, €1 mil milhão, e Uría Menéndez – Proença de Carvalho, €954 milhões.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *